O que é?Centro de interpretação e museus virtuais
Nos últimos anos, os chamados média digitais têm sido usados cada vez mais na área da cultura (museus, galerias, locais arqueológicos,etc) e instituições de educação. Os media tradicionais, como as ilustrações animadas e audio-guias, em conjunto com exposições interactivas com recurso à multimédia digital, permitiram transportar a transferência de conhecimento para um nível completamente novo. Novas possibilidades para apresentação e experimentação do conhecimento, de forma atractiva para a audiência, foram surgindo daquela fusão.
Neste portal pretende-se mostrar os locais museológicos de Braga recorrendo aos sistemas multimédia.
MuseusLocais em destaque
Museu dos BiscainhosMuseu D. Diogo de Sousa
NotíciasÚltimas sobre os museus de Braga
A Menina Gotinha de ÁguaData:26/5/2009

Organização:  Câmara Municipal de Braga

Local:  Termas Romanas do Alto da Cividade
 

Data: 18 de Abril (Sábado)
Horário: 15.30h

A Câmara Municipal de Braga, no âmbito do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, subordinado este ano, ao tema Património e Ciência vai promover, no dia 18 de Abril de 2009, pelas 15h30, no espaço arqueológico musealizado Termas Romanas do Alto da Cividade, a realização de um espectáculo de dança contemporânea, A Menina Gotinha de Água, pelo Centro de Educação pela Arte – Arte Total.

O espectáculo é de acesso livre.

Baseado no poema de Papiano Carlos, a história de “A Menina Gotinha de Água”, na circunstância narrada através da dança, coloca no centro da acção a menina Gotinha de Água que vivia no fundo do mar e que, um dia, beijada pelo Sol, «como se voasse, começou a subir no ar».
Ora nas nuvens, ora num arco-íris, a Menina Gotinha de Água percorre «vestida de esmeralda luar», ao sabor do vento, as mais variadas e distantes paragens, até que, juntamente com as suas irmãs, se deixa cair espalhando vida ao seu redor.
Recorrendo à dinâmica de um fenómeno natural, neste caso concreto, ao ciclo da água, Papiano Carlos representa em “A Menina Gotinha de Água”, de acordo com José António Gomes, «uma metáfora da própria renovação social».
Com coreografia de Teresa Fabião e Joana Domingues e direcção artística de Cristina Mendanha, o projecto evocativo do Dia Mundial da Dança tem por objectivo sensibilizar as crianças e o público em geral para a acção dos quatro elementos da natureza – água, ar, fogo e terra.

(Fonte: Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal de Braga)

Outras notícias
Centro de interpretação e Museus Virtuais - todos os direitos reservados 2008|Conteito: Implementação:CCG